Tecnólogo em Segurança Pública

É a Melhor Opção?

O que é ser um graduado em Tecnologia de Segurança Pública?

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o tecnólogo em Segurança Pública é o profissional que atua nas áreas de política, gestão, planejamento e técnicas operacionais no âmbito do sistema de segurança pública, fundamentado nos princípios da cidadania, dos Direitos Humanos e da cultura da paz, em relação às atividades de prevenção e enfrentamento das conflitualidades contemporâneas.

O exercício profissional exige visão sistêmica, identificação das características, necessidades e desafios da sociedade contemporânea, formulação das políticas públicas voltadas para compreensão da vida nas cidades, nos bairros, nas comunidades e das relações entre as pessoas. Envolve o domínio de dispositivos administrativos, penais e processuais penais referentes às ações de segurança pública; conhecimentos que possibilitem a compreensão das teorias e abordagens sociopsicológicas; técnicas, tecnologias e estratégias relacionadas às áreas de atuação; habilidades pessoais para lidar com a complexidade das situações, o risco e a incerteza.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o tecnólogo em Segurança Pública é o profissional que atua em organizações privadas e públicas: Segurança Institucional, Políticas de Prevenção Primária e Secundária, Política de Prevenção de Vítimas , Políticas Criminais, Políticas e Controle de Riscos.

O curso visa a formação de profissional que seja capaz de

  • O aluno seja o ator do seu próprio desenvolvimento, e não simplesmente um receptor passivo dos conhecimentos previamente definidos;
  • O aprendizado ocorra através da problematização conseguida com os projetos que serão elaborados e implementados pelos alunos;
  • O aprendizado se consolide durante o trabalho de preparação e implantação do projeto, fazendo com que, dessa forma, o aluno trabalhe o objeto de seu aprendizado;
  • O componente curricular seja baseado no Projeto Político-Pedagógico do curso e na missão institucional da Faculdade Lions e não somente nas disciplinas ofertadas. Para isso, os elementos disciplinares necessários ao desenvolvimento dos projetos deverão ser apresentados à medida que o conhecimento do aluno for requerendo;
  • Haja uma intensa interação entre a Faculdade e as instituições da área de segurança, tornando a Faculdade um elemento aglutinador e promotor do desenvolvimento da comunidade.

Sobre o Curso

Formar profissionais para o exercício de atividades relacionadas à segurança pública, capazes de atuar na geração e aplicação de conhecimentos na área, fundamentados em princípios éticos e de cidadania, através de um ensino interdisciplinar relacionando a atividade policial às inovações constitucionais, às demais áreas do conhecimento jurídico e à moderna realidade social, política, econômica e cultural do Brasil.

Finalidade/Objetivo do Curso

 

O Curso de Gestão de Segurança Pública da Faclions deverá formar graduados que:

O profissional formado no Curso Superior de Tecnologia em Segurança Pública deverá desenvolver e demonstrar as seguintes competências em termos de conhecimento, habilidades e atitudes:

  • dominar conceitos fundamentais indispensáveis ao exercício profissional de segurança pública, associado à capacidade de assimilação e gerenciamento de novas informações, flexibilizando as ações e adaptando-as às situações vigentes ou emergentes do seu foro de atuação;
  • dominar métodos e técnicas de gerenciamento do sistema de segurança pública e de implantação e implementação de programas, numa visão interdisciplinar;
  • coordenar e capacitar equipes de recursos humanos que atuam no setor, assim como gerenciar e/ou integrar equipes multidisciplinares para o desenvolvimento de projetos de investigação e prevenção na área;
  • atuar nas relações inter e intrapessoais para melhorar as ações da segurança pública;
  • desenvolver visão técnica e, ao mesmo tempo, multidisciplinar da segurança pública, que contemple as áreas de Direito, Criminologia, Psicologia, Sociologia, Administração, legislação e outras, bem como empreender ações multidisciplinares de segurança pública que abranjam os campos referidos;
  • desenvolver visão política de planejamento estratégico para os setores de segurança
  • pública;
  • divulgar e promover a segurança pública eficiente e cidadã;
  • elaborar projetos de segurança pública;
  • adotar visão ética profissional e social na condução da segurança pública;
  • assimilar e compreender as consequências sociais geradas nos setores públicos e os fatores que as influenciam;
  • usar armas de fogo na segurança e proteção dos membros da sociedade, pautado nos princípios éticos, legais e técnicos.

Informações Gerais

  • Duração: 2 anos
  • Turno: Noturno
  • Coordenador: Profª Dr. Rosiane Dias Mota
  • Email: coord.administracao@faclions.org
  • MEC: Autorizado pela Portaria MEC nº 739, de 24 de novembro de 2016

Matriz Curricular

Mercado de Trabalho

O campo de atuação profissional do tecnólogo em Segurança Pública é amplo e diversificado. Esse profissional poderá atuar em Segurança Institucional, Políticas de Prevenção Primária e Secundária, Políticas de Prevenção de Vítimas, Políticas Criminais, Políticas e Controle de Riscos.

O profissional poderá atuar, também, nas organizações privadas e públicas, desenvolvendo consultorias para definir, caracterizar e organizar projetos de segurança, contando também com os conhecimentos necessários para captar recursos financeiros internos e externos junto às agências de fomento nacionais e internacionais.

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação

Instrução Normativa nº01/2017, de 03 de janeiro de 2017.

 Estabelece o sistema de avaliação da aprendizagem discente, dos cursos de graduação da Faculdade Lions.

O Diretor Geral e Diretora Acadêmica da FacLions, no uso de suas atribuições, RESOLVEM:

 Art. 1º – Estabelecer que o sistema de avaliação da aprendizagem discente, dos cursos de graduação, será assim constituído:

  • AP1 – Avaliação Parcial (A ser aplicada no primeiro bimestre)
  • AP2 – Avaliação Parcial (A ser aplicada no segundo bimestre)
  • AVI – Avaliação Integradora

 Art. 2º – Será aprovado o aluno que ao longo do semestre conseguir média final (MF1), maior ou igual a 6,0 (seis) obtida da soma de AP1, AP2 mais AVI.

Sendo:

AP1= NT (Nota de Trabalhos) + NP (Nota da Prova) = 10 pontos vezes 0,4 = 4.0 pontos

AP2= NT (Nota de Trabalhos) + NP (Nota da Prova) = 10 pontos vezes 0,6 = 6,0 pontos

AVI = Avaliação Integradora = 2,0 pontos

 RESUMINDO:

Fórmula 1: AP1 = (NP+NT) x 0,4 = 4,0

Fórmula 2: AP2 = (NP+NT) x 0,6 = 6,0

Fórmula Final: MF1= AP1 + AP2 + AVI ≥ 6,0

 1º – Os pesos para cada item da fórmula ficam assim determinados:

NT (Nota de Trabalhos, que poderão ser: trabalhos escritos, seminários, banners, painéis, arguições orais, debates e participação em eventos da Faclions) para AP1 = 2,0 (dois) pontos NT (Nota de Trabalhos, que poderão ser: trabalhos escritos, seminários, banners, painéis, arguições orais, debates e participação em eventos da Faclions) para AP2 = 2,0 (dois) pontos. NP (Nota de Prova) tanto para AP1quanto para AP2 = 8,0 (oito) pontos.

AVI (Avaliação Integradora) = 2,0 (dois) pontos, não sendo atribuída para as disciplinas de Núcleo de Prática Jurídica, Monografias, Trabalho de Conclusão de Curso e Estágio Supervisionados.

  • 2º – Caso a média ultrapasse a nota 10,0 (dez), não haverá remanejamento da nota para outra disciplina ou semestre.
  • 3º – A AVI será aplicada em data estabelecida em calendário, pelo professor que estiver ministrando aula, na turma, na data marcada.
  • 4º – As médias são apuradas até a primeira casa decimal, com arredondamento.
  • 5º – Em casos, que o aluno perder uma das avaliações de AP1 ou AP2, ele poderá solicitar a realização da avaliação substitutiva, contemplando todo o conteúdo do semestre letivo, em data estabelecida no calendário acadêmico.
  • 6º – A avaliação substitutiva terá data estabelecida em calendário e será composta somente por questões subjetivas e sem consulta.
  • 7º – A Avaliação de AVI não terá substitutiva.
  • 8º – O aluno terá no máximo 1 (uma) hora de tolerância para entrar na sala após início da prova, depois desse período não será permitida a sua entrada.
  • 9º – Nenhum aluno poderá deixar a sala de aula, em dia de prova, antes de decorrida 01 (uma) hora da realização da mesma.

 PARÁGRAFO ÚNICO: A fórmula de pesos não se aplica para as Disciplinas de TCC.

 Art. 3º – Independentemente dos demais resultados, é reprovado na disciplina, o aluno que não obtiver frequência de, no mínimo 75% (setenta e cinco) das aulas e demais atividades realizadas.

Art. 4– O aluno que deixar de comparecer às avaliações de AP1 ou AP2, poderá realizar prova substitutiva, desde que requerida no prazo previsto em calendário acadêmico e realizado o pagamento estabelecido pela Diretoria Financeira.

Art. 5º – O Pagamento da taxa estabelecida pela Diretoria Financeira, somente será isento nos seguintes casos:

  1. Motivos de doença, comprovado com atestado médico e que estejam contempladas e amparadas pelo Decreto 1.044/69;
  2. Óbito de familiar, sendo de primeiro grau de parentesco (pai, mãe e filhos).

Art. 6º – Para resolver futuros problemas em relação às notas, todas as provas (AP1, AP2 e atividades (trabalhos) que o professor tenha desenvolvido em sala e atribuído nota, deverão ser devolvidos aos alunos e os mesmos deverão guardá-los até que o seu diploma seja emitido. Em caso de solicitação de revisão de notas, cópias destes documentos serão solicitadas.

Art. 7º – O processo de revisão de provas será encaminhado ao professor da disciplina para se pronunciar, após seu conhecimento, a coordenação do curso nomeará uma comissão composta de no mínimo dois membros do corpo docente da respectiva área e, sob a presidência de um dos membros, proceder a revisão e dar o parecer final no prazo máximo de cinco dias úteis após nomeação.

  • 1º – O processo de revisão será na prova ou trabalho em sua totalidade, podendo a nota ser alterada para mais ou para menos. Não haverá processo de revisão para questões da prova ou partes de trabalhos.
  • 2º – Esta revisão será realizada em caráter final, não podendo haver nova solicitação para a mesma disciplina.
  • 3º – O prazo para solicitação do processo de revisão de faltas e notas (AP1, AP2 e será até 5º (quinto) dia da publicação de cada nota no site da Instituição, conforme calendário acadêmico. Não serão aceitos pedidos de semestres anteriores.
  • 4º – Para as atividades avaliativas do Núcleo de Prática Jurídica o pedido de revisão de nota, deverá ser pautado com a indicação de qual atividade a ser analisada, devendo o aluno fundamentar o pedido dizendo o porquê do pedido e justificando. Não será aceito pedido de forma genérica.

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 8º – Os casos omissos nesta Instrução Normativa serão resolvidos pela Direção da Faculdade Lions.

Art. 9° – Esta Normativa entre em vigor a partir do dia 03 de janeiro de 2017 e revoga a todas as resoluções em contrário.

Goiânia, 03 de janeiro de 2017.