Turismo

Turismo é a melhor opção?Informações GeraisMercado de TrabalhoMatriz CurricularCritérios de Avaliação

O Bacharelado em Turismo forma o profissional para a carreira de Turismólogo, profissão reconhecida por lei desde janeiro de 2012. Este prepara o aluno para atuar nas áreas de planejamento turístico, agências de viagens, hotelaria, lazer e eventos.

O que é ser um Turismólogo?

Turismologia é a ciência que estuda os elementos turísticos e relaciona-os ao contexto social e econômico. Turismólogo é o profissional que observa, estuda e analisa os fenômenos turísticos em sua totalidade. O turismo é um fenômeno socioeconômico, cultural e político que promove o deslocamento de pessoas, por motivos variados. É esse profissional que fica responsável por elaborar as políticas de turismo e por planejar a organização do espaço a ser explorado, sempre levando em consideração todos os fatores culturais, físicos, socioeconômicos, para que esta exploração seja menos predatória possível. É o turismólogo quem planeja e coordena o tipo de turismo mais adequado à cada local, dependendo do público-alvo, das características da região e de outras informações coletadas através de pesquisas.

Quais as características necessárias para ser um bom Turismólogo?

Para ser um turismólogo é necessário que o profissional se interesse pela socioeconômica do país, e que domine conceitos de geografia que são dados durante o curso. Outras características interessantes são: disciplina responsabilidade agilidade visão de projeto capacidade de concentração capacidade de observação metodologia dinamismo capacidade de interpretar dados numéricos.

  • Duração: 3 anos
  • Turno: Noturno
  • Coordenador(a) Titular:  Profª Dra. Rosiane Dias Mota
  • E-mail:  coord.administracao@faclions.org

Curso de Turismo – Autorizado pela Portaria MEC N.º 2.835, de 17/12/2001, (DOU de 22/01/02)
Reconhecido pela Portaria MEC Nº 993, Data de Publicação (DOU 09/05/2006)
Obejtivos do curso

Transmitir conhecimentos técnicos, oferecendo ao estudante os fundamentos necessários que permitirão aos formandos seguirem uma carreira de sucesso na área de Turismo, desenvolvendo senso técnico e prático ao futuro profissional, como também estimulam as atividades de pesquisas, formando profissionais com visão global, prática, pragmática e multidisciplinar, com conhecimento nas áreas humanística, científica e tecnológica, habilitados a identificar e equacionar os principais problemas do setor turístico, considerando a responsabilidade social e ambiental.

1. Qualificar profissionais de nível superior em Turismo, para oferecer ao mercado de trabalho uma mão-de-obra qualificada, atendendo às expectativas e necessidades das empresas de Turismo;

2. Investir na formação humanística, transmitindo uma visão global que habilite o futuro profissional a compreender o meio social em seus aspectos político, econômico, cultural e ambiental;

3. Atender às necessidades de técnicas específicas e de profissionalização da atividade para que a prática funcional ocorra de forma racional e que beneficie mercados explorados com melhoria de qualidade de vida, ao mesmo tempo proporcionando os benefícios econômicos sustentáveis;
4. Formar profissionais que interiorizem valores morais e éticos;

5. Promover, de acordo com a realidade regional e suas necessidades, a formação de profissionais envolvidos na preservação e requalificação dos valores culturais regionais que possam ser perpetuados através do Turismo.

As pessoas, cada vez mais, buscam a qualidade de vida, nela incluindo maior disponibilidade para o entretenimento e lazer. Assim, há a previsão de que as pessoas tenham mais tempo livre para a diversão, viagens e lazer. Na região Centro Oeste está ganhando impulso o “turismo ecológico”, assim como em São Paulo o “turismo de negócios”, nas regiões Norte e Nordeste o “turismo de lazer”. Significa dizer, que a diversidade e amplitude do mercado de trabalho do profissional de Turismo tornam cada vez mais promissora a carreira.
O Bacharel em Turismo pode atuar na administração, planejamento e desenvolvimento de projetos ligados ao lazer e as atividades turísticas. Como também em centros de informações, documentação, investigações turísticas, nas áreas de fomento, promoção, planejamento, pesquisa e controle de atividades turísticas de âmbito municipal, estadual ou federal; em instituições de nível médio e superior de ensino em Turismo, no que se refere ao magistério e às pesquisas.

O mercado de trabalho para o turismólogo é muito amplo, pois existem, no Brasil, muitos lugares que movimentam o turismo, em várias modalidades. Para que o profissional se destaque no trabalho, é muito interessante que ele se atualize constantemente por meio de cursos e especializações. O domínio sobre o inglês ou outro idioma estrangeiro é imprescindível.
Principais áreas de atuação

– Planejamento e gestão de empreendimentos turísticos e hoteleiros
– Marketing turístico
– Gestão de restaurantes, bares, casas noturnas
– Planejamento de políticas públicas de turismo
– Ecoturismo
– Turismo de negócios
– Gestão de empresas de transporte

Critérios de Avaliação

Instrução Normativa nº01/2017, de 03 de janeiro de 2017.

 Estabelece o sistema de avaliação da aprendizagem discente, dos cursos de graduação da Faculdade Lions.

O Diretor Geral e Diretora Acadêmica da FacLions, no uso de suas atribuições, RESOLVEM:

 Art. 1º – Estabelecer que o sistema de avaliação da aprendizagem discente, dos cursos de graduação, será assim constituído:

  • AP1 – Avaliação Parcial (A ser aplicada no primeiro bimestre)
  • AP2 – Avaliação Parcial (A ser aplicada no segundo bimestre)
  • AVI – Avaliação Integradora

 Art. 2º – Será aprovado o aluno que ao longo do semestre conseguir média final (MF1), maior ou igual a 6,0 (seis) obtida da soma de AP1, AP2 mais AVI.

Sendo:

AP1= NT (Nota de Trabalhos) + NP (Nota da Prova) = 10 pontos vezes 0,4 = 4.0 pontos

AP2= NT (Nota de Trabalhos) + NP (Nota da Prova) = 10 pontos vezes 0,6 = 6,0 pontos

AVI = Avaliação Integradora = 2,0 pontos

 RESUMINDO:

Fórmula 1: AP1 = (NP+NT) x 0,4 = 4,0

Fórmula 2: AP2 = (NP+NT) x 0,6 = 6,0

Fórmula Final: MF1= AP1 + AP2 + AVI ≥ 6,0

 1º – Os pesos para cada item da fórmula ficam assim determinados:

NT (Nota de Trabalhos, que poderão ser: trabalhos escritos, seminários, banners, painéis, arguições orais, debates e participação em eventos da Faclions) para AP1 = 2,0 (dois) pontos NT (Nota de Trabalhos, que poderão ser: trabalhos escritos, seminários, banners, painéis, arguições orais, debates e participação em eventos da Faclions) para AP2 = 2,0 (dois) pontos. NP (Nota de Prova) tanto para AP1quanto para AP2 = 8,0 (oito) pontos.

AVI (Avaliação Integradora) = 2,0 (dois) pontos, não sendo atribuída para as disciplinas de Núcleo de Prática Jurídica, Monografias, Trabalho de Conclusão de Curso e Estágio Supervisionados.

  • – Caso a média ultrapasse a nota 10,0 (dez), não haverá remanejamento da nota para outra disciplina ou semestre.
  • – A AVI será aplicada em data estabelecida em calendário, pelo professor que estiver ministrando aula, na turma, na data marcada.
  • – As médias são apuradas até a primeira casa decimal, com arredondamento.
  • – Em casos, que o aluno perder uma das avaliações de AP1 ou AP2, ele poderá solicitar a realização da avaliação substitutiva, contemplando todo o conteúdo do semestre letivo, em data estabelecida no calendário acadêmico.
  • – A avaliação substitutiva terá data estabelecida em calendário e será composta somente por questões subjetivas e sem consulta.
  • – A Avaliação de AVI não terá substitutiva.
  • – O aluno terá no máximo 1 (uma) hora de tolerância para entrar na sala após início da prova, depois desse período não será permitida a sua entrada.
  • 9º – Nenhum aluno poderá deixar a sala de aula, em dia de prova, antes de decorrida 01 (uma) hora da realização da mesma.

 PARÁGRAFO ÚNICO: A fórmula de pesos não se aplica para as Disciplinas de TCC.

 Art. 3º – Independentemente dos demais resultados, é reprovado na disciplina, o aluno que não obtiver frequência de, no mínimo 75% (setenta e cinco) das aulas e demais atividades realizadas.

Art. 4o – O aluno que deixar de comparecer às avaliações de AP1 ou AP2, poderá realizar prova substitutiva, desde que requerida no prazo previsto em calendário acadêmico e realizado o pagamento estabelecido pela Diretoria Financeira.

Art. 5º – O Pagamento da taxa estabelecida pela Diretoria Financeira, somente será isento nos seguintes casos:

  1. Motivos de doença, comprovado com atestado médico e que estejam contempladas e amparadas pelo Decreto 1.044/69;
  2. Óbito de familiar, sendo de primeiro grau de parentesco (pai, mãe e filhos).

Art. 6º – Para resolver futuros problemas em relação às notas, todas as provas (AP1, AP2 e atividades (trabalhos) que o professor tenha desenvolvido em sala e atribuído nota, deverão ser devolvidos aos alunos e os mesmos deverão guardá-los até que o seu diploma seja emitido. Em caso de solicitação de revisão de notas, cópias destes documentos serão solicitadas.

Art. 7º – O processo de revisão de provas será encaminhado ao professor da disciplina para se pronunciar, após seu conhecimento, a coordenação do curso nomeará uma comissão composta de no mínimo dois membros do corpo docente da respectiva área e, sob a presidência de um dos membros, proceder a revisão e dar o parecer final no prazo máximo de cinco dias úteis após nomeação.

  • – O processo de revisão será na prova ou trabalho em sua totalidade, podendo a nota ser alterada para mais ou para menos. Não haverá processo de revisão para questões da prova ou partes de trabalhos.
  • – Esta revisão será realizada em caráter final, não podendo haver nova solicitação para a mesma disciplina.
  • – O prazo para solicitação do processo de revisão de faltas e notas (AP1, AP2 e será até 5º (quinto) dia da publicação de cada nota no site da Instituição, conforme calendário acadêmico. Não serão aceitos pedidos de semestres anteriores.
  • – Para as atividades avaliativas do Núcleo de Prática Jurídica o pedido de revisão de nota, deverá ser pautado com a indicação de qual atividade a ser analisada, devendo o aluno fundamentar o pedido dizendo o porquê do pedido e justificando. Não será aceito pedido de forma genérica.

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 8º – Os casos omissos nesta Instrução Normativa serão resolvidos pela Direção da Faculdade Lions.

Art. 9° – Esta Normativa entre em vigor a partir do dia 03 de janeiro de 2017 e revoga a todas as resoluções em contrário.

Goiânia, 03 de janeiro de 2017.